A ministra Simone Tebet é lembrada para disputar a presidência da República

A ministra do Planejamento do Governo Lula, Simone Tebet (MDB), foi lembrada para ser um possível nome para substituir Lula no projeto político do PT.

Noticias em 30 de maio, 2024 15h05m
Simone Tebet, ministra do Planejamento.
Simone Tebet, ministra do Planejamento.

A ministra do Planejamento do Governo Lula, Simone Tebet (MDB), foi lembrada para ser um possível nome para substituir Lula no projeto político do PT. Simone foi prefeita de Três Lagoas, deputado e senadora por MS. 

A fala do ex-deputado federal Jean Wyllys (PT) causou polêmica e burburinho na semana ao defender que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva abra mão da reeleição e apoie a candidatura da ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet (MDB), nas eleições de 2026. Para o petista, o plano seria evitar a vitória de um candidato bolsonarista.

Em entrevista ao canal Futeboteco, no YouTube, Wyllys, que é jornalista, professor e foi filiado ao PSOL antes de ingressar no PT, entre 2009 e 2021, afirmou que é contra uma eventual candidatura de Lula à reeleição.

“Eu acho que era hora de o PT sair do protagonismo e vir para a retaguarda, se tornar coadjuvante, apostar no nome de Simone Tebet como cabeça de chapa”, afirmou o petista. Ainda segundo o ex-deputado, a chapa ideal para representar o atual governo na próxima eleição presidencial seria composta por Tebet, como candidata à Presidência, e Silvio Almeida, atual ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, para vice – com o apoio de Lula, mas sem a participação direta do presidente da República.

Publicidade
 

“É difícil eu dizer isso, até porque eu vou ser xingado. O lulismo é uma coisa muito doida, o lulismo, às vezes, não é muito crítico. Eu acho que Lula pode ser cabo eleitoral”, afirmou o Wyllys, que renunciou ao mandato de deputado federal após o assassinato da vereadora Marielle Franco.

Simone foi candidata a presidente pela primeira vez em 2022 e ficou em 3º lugar, atrás de Lula e do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

 

Publicidade

Comentários

Notícias relacionadas