Atvos entra em recuperação judicial; desafio é tranquilizar trabalhadores e arrendatários

Economia gazetacrnews em 01 de junho, 2019 18h06m
Facebook Twitter Whatsapp

Unidade da Atvos.Foto: Divulgação.

Da Redação - A empresa Atvos, do grupo Odebrecht entrou em recuperação judicial depois do deferimento do Poder Judiciário. A Atvos têm 60 dias para apresentar a primeira versão do Plano de Recuperação Judicial. Um fundo financeiro internacional bloqueu 65% de toda a produção da Atvos para receber um crédito, que atinge um bilhão de reais. A recuperação judicial foi oficializada pela Justiça do Estado de São Paulo no dia (29/5). 

A Atvos se defende dizendo que a recuperação judicial é uma forma para garantir o equilibrio financeiro. A empresa Atvos, que é um braço da Odebrecht e que atua no setor sucroenergético e emprega 10 mil trabalhadores. 

A dívida da empresa é de 12 bilhões de reais, e inclui credores como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú Unibanco, Santander e BNDES. A recuperação judicial concedida pela Justiça do Estado de São Paulo no dia 29 de maio, atende um pedido de um fundo que tem crédito em torno de R$ 1 bilhão de reais. A princípio, 65% de toda a produção da Atvos será destinado para pagamento da dívida junto a esse fundo. 

A Atvos em comunicado disse que sua expectativa é moer cerca de 27 milhões de toneldas de cana na safra de 19/20, suficientes para produzir 2,1 bilhões de litros de etanl, 237 mil toneladas de açucar para produzir 2,1 bilhões de litros de etanol, 237 mil toneladas de açucar VHP e gerar 2,9 mil GWh de energia eletrica, numa tentativa de mostrar que seu negócio segue firme.

A recuperação judicial concedida pela Justiça de São Paulo, não inclui os bancos credores, que aliás, já negociavam com o grupo Odebrecht a alternativa de assumirem o controle da Atvos. Com a recuperação judicial a situação dos bancos credores ficam bem vulneráveis. 

Publicidade

Costa Rica

A Atvos emprega mais de 1.500 pessoas em Costa Rica, e ainda conta dezenas de contratos de arrendamento. O prefeito da cidade, Waldeli dos Santos Rosa, que além de produtor rural é empresário, e mantém contratos com a empresa, publicou na sua página no Instagran um texto que externa confiança à empresa Atvos, e que  recuperação judicial não vai prejudicar trabalhadores e nem parceiros.

A Atvos têm 60 dias para apresentar a Justiça um plano de recuperação que contemple o pagamento de trabalhadores, arrendatários e nesse caso, o credor que moveu a ação que originou a recuperação judicial. 

A cidade de Costa Rica, além da Atvos conta com a IACO que emprega em torno de 00 a 600 trabalhadores da cidade, a Prefeitura Municipal que emprega em torno de 1.000 funcionários, o grupo Paraná que emprega mais de 290 pessoas, além do comércio que absorve uma quantia importante de mão-de-obra.  

Publicidade
Compartilhe esta notícia:
Facebook Twitter Whatsapp

Comentários